notícias

NOTA DE REPÚDIO - Abordagem equivocada- Colégio Marista Natal. Postado hoje por Sindicato dos Policiais Federais às 16:09



NOTA DE REPÚDIO


O SINDICATO DOS SERVIDORES DO DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE – SINPEF/RN, através do seu Presidente, ANTÔNIO CARLOS DE LIRA FRAGA, no uso de suas atribuições legais, apresenta NOTA DE REPÚDIO em razão da abordagem equivocada do Colégio Marista, da cidade de Natal/RN, que por meio de uma avaliação aplicada aos seus alunos do oitavo ano, retratou policiais de forma desrespeitosa, fazendo crer que sua atuação é preconceituosa e violenta por três vezes em uma única prova.
À seguir temos um print das questões números 06, 10 e11, todas da mesma avaliação aplicada aos alunos do 8º ano da referida instituição de ensino e com distorcidas e inconsequentes imputações de má índole aos policiais:
 
Mister se faz ressaltar que se revelam absolutamente inadmissíveis o teor das questões acima postas da referida avaliação, posto que as críticas veiculadas são todas direcionadas a uma mesma classe de funcionários, qual a seja, a dos policiais, fazendo com que o seu público alvo, que são crianças do oitavo ano, cultivem uma imagem totalmente distorcida de tais servidores públicos, visto que põem em total descrédito a imagem da Polícia, comparando-a, inclusive, a um animal, em clara conotação e comparação a algo que é “sujo” e também a marginais transgressores da lei, indo, dessa forma, em total desencontro com a própria missão da instituição que é de exercer as atribuições de polícia judiciária e administrativa, a fim de contribuir para a manutenção da lei e da ordem, preservando o estado democrático de direito.


Ao assim proceder a Escola Marista de Natal/RN deixa de agir com a responsabilidade esperada, especialmente quando se sabe que foi aplicada para crianças/adolescentes, os quais podem desenvolver, visto o papel determinante da escola, a imagem generalizada e negativa da atividade policial, medida injusta uma vez que os policiais a duras penas vem protagonizando um intenso combate contra a criminalidade, arriscando a própria vida para a preservação da paz e combate intensivo a corrupção que assola nosso país.

Consigne-se que esta Entidade Sindical não compactua com violência, corrupção, discriminação, tampouco com racismo. Logo, o que está a se repudiar na presente oportunidade em nada vai de encontro à liberdade de manifestação de pensamento, a qual é pertinente no seio da nossa democracia, ocorre que incorreu em total exagero a Instituição de Ensino ao veicular, em uma única prova, ataques direcionados tão somente aos policiais, fazendo surgir o questionamento do porquê nenhuma outra classe de trabalhadores ter sido criticada ou do porquê nenhuma das questões demonstrou o desempenho e a ética da categoria policial.


É notório que a polícia não está isenta de críticas, todavia, deve-se ponderar para que estas sejam construtivas e levem em consideração a idade do público alvo, para assim evitar que disseminemos para os jovens a ideia de que os policiais oferecem perigo à comunidade, o que é inaceitável. Nesse ínterim, tal imagem extremamente negativa não pode ser veiculada como sendo a regra, pois longe de afastar os erros isolados, que ocorrem em todas as profissões, estes representam a exceção.

Nessa direção, o Colégio Marista, assim como qualquer outra instituição de ensino, cientes do seu papel determinante para a construção cidadã da formação dos estudantes, não deve se forma alguma proceder de forma discriminatória e em desrespeito a qualquer classe profissional, sob pena de que os jovens tenham o seu desenvolvimento intelectual maculado, cultivando inclusive ódio contra aqueles que foram duramente criticados, a exemplo dos policiais na situação em comento, quando, em verdade, os profissionais da segurança pública colocam a sua própria vida em perigo diariamente, sendo honrados e dotados de capacidade intelectual e humana para, em respeito aos direitos fundamentais previstos na Constituição Federal, atuar com vistas à proteção de todos, sem discriminação. 

Assim, por tudo exposto, esta NOTA DE REPÚDIO representa os interesses de toda categoria policial representada pelo SINPEF/RN, repudiando toda forma de discriminação, especialmente quando veiculada por instituições escolares, conforme ocorrido com a Escola Marista de Natal/RN, devido ao seu papel de influência para a formação dos jovens.

Atenciosamente,



Natal/RN, 03 de setembro de 2020



SINDICATO DOS SERVIDORES DO DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE – SINPEF/RN





voltar